domingo, 29 de setembro de 2013

Além da utopia



Perderemos o contato com o paraíso não mais por apenas termos abando a religião e entender este assunto fora de época, mas por não entendermos haver significado em praticar o bem por si só e então termos direito a um espaço longínquo, definitivamente tornado utópico em mentes que se entendem a cada dia mais conectadas apenas ao chão.
  
         Assusta, um pensamento que me ataca,

onde custa acreditar que estejam certos,

 aqueles que já declararam que nosso sentido mais aguçado

 é para o mal* - Estamos ficando tão impregnados do mal,

de vícios, que ao aventarmos um mundo perfeito,

tememos-o, sem graça;

não o conseguimos imaginar fazendo algum sentido.  

E então desistimos

                 

        *Do mal: uma concepção errada de que certa dose de truculência, de resistência, de demagogia, e até mesmo de perfídia, de algum tipo de punição por algo arbitrariamente não aceito, enfim, uma ação contraria a ordem oposta, – geralmente imposta sem discussão e sem observar devidamente o direito contrário - fará com que se obtenha o ajuste necessário ao jogo de interesses do negociador com melhores armas, ou mais desprendido em aplicar tais medidas.
 
004.g cqe