sexta-feira, 12 de junho de 2015

Os abismos floresem



Se eu disser que pulo...
ganho mais uma torta de maça???
Mereço um castigo? 
Um tropeço... 
talvez até um tombo?
Não, disse o Lucindo 
Ela merece atenção e um beijo!!! 
E eu escolhi ficar com os sonoros apitos!!!

O que eu teria se o tivesse feito? 
Ou o que não teria?
Teria conhecido o Jabulinho? 
A Xexa? 
A menézada toda? 
Penso que não!!! 
De tanto sentido, parecia não mais ter sentido 
Ah!!! E como foi sentido...

Bem vida a vinda!!! 
Todos disseram!!! E eu fiquei 
É um engano pensar que antes não havia intenção
Sempre houve 
Sempre existiu 
e nunca começou... 
como nunca terminará...

Eu cuido de algo que me foi dado em confiança 
Algo como uma joia raríssima 
ainda escondida dentro de uma rocha bruta 
porém frágil... sensível...
e de um brilho cegante...

Não é meu, não me pertence 
O que é meu é só o que sinto!!! 
Então, com alguma maestria 
e com toda inocência... 
eu cuido!!!

Na primavera...
temos as mamangavas... 
abundando-se em minúsculas florzinhas 
Temos o reflexo delicado nas pocinhas d’água 
e mushroons esporádicos no jardim...
indicando que ali fizeram um acampamento 
E as voltas... 
em seu redor...
perambula uma tronxa feliz!!!


Quando enfim...
for dado o momento da decisiva conferência 
irão me perguntar 
O que valeu a pena??? 
Ora veja; o que valeu? 
Foram todas as vezes que eu perguntei... 
tomou o seu remédio hoje???

obeah

ou Minha Sempre Bem Amada


Da série;
 Namorado Feliz, também no Dia dos Namorados.

075.i cqe